Os Reis do Nhem-Nhem-Nhem vêm com uma Festa de Arromba


Eles já estão há um bom tempo fazendo uma Festa de Arromba, mas agora pretendem ir mais longe. O Grupo The Bestas, formados pelos quatro rapazes fabulosos do PMDB carioca - Eduardo Cunha, Eduardo Paes Luiz Fernando Pezão e Carlos Roberto Osório - já fazem um grande barulho na política do Rio de Janeiro e até do Brasil.

Com agressividade olímpica eles fazem com a Constituição Federal o que o The Who fez com seus instrumentos durante suas primeiras apresentações. Mas até as leis são jogadas na fogueira, tal qual Jimi Hendrix fez com sua guitarra uma vez.

Atraindo multidões a fazer protestos (contra) eles na Av. Pres. Vargas, no Largo da Carioca - para não dizer o faroeste que rola nos complexos do Alemão e da Maré - os quatro rapazes do Livre Mercado abandonaram o público, quando perceberam que a barulheira os impedia de conhecer suas ambições pessoais.

Aí eles se isolaram no estúdio, para promover seus grandes projetos pessoais. Criaram o álbum Sargento Olimpo e o Clube dos Atletas Solitários, com ambições olímpicas. Prestaram tributo a Sérgio Cabral Filho, o "quinto besta", "morto" pelos escândalos políticos divulgados na imprensa. Os parceiros ainda têm esperança de uma "ressurreição" que reponha Cabralzinho de novo na estrada.

Depois, criaram o disco Magical BRT Tour, em que a criatividade do Carlos Roberto Osório, que, considerado o mais brincalhão do grupo, depois participaria, como ator, do filme 200 UPPs, projeto do grupo Zé Beltrame and The Mothers of Intervention.

Osório, seguindo a escola de Alexandre Sansão, dos tempos do Silver Bestas, despejou pintura padronizada nos ônibus executivos e lançou um estilo que permitiu que linhas de ônibus fossem partidas ao meio para gerar "alimentadores" e ainda faz seus discursos tentando explicar por que trens e metrôs volta e meia se desviam dos trilhos.

Se Osório é o humorista do grupo, podemos definir Eduardo Paes como o mais irônico, Eduardo Cunha como o mais romântico (vide seu amor a Deus e à Bíblia) e Luiz Fernando Pezão, com aquele jeito de guru esotérico, o mais místico dos quatro.

O problema é que a Festa de Arromba não tem fim anunciado. Seu Let It Bosta é lançado como um começo de uma nova fase. A carreira-solo de Eduardo Cunha em Brasília, liderando a "banda de música" oposicionista da Câmara dos Deputados, é apenas um trabalho paralelo. O cenário do PMDB carioca ainda prepara novos voos de Ícaro. Abaixemos nossas cabeças, serão voos rasantes!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Prisão de Cunha é etapa de um jogo político