Os Reis do Nhem-Nhem-Nhem vêm com uma Festa de Arromba


Eles já estão há um bom tempo fazendo uma Festa de Arromba, mas agora pretendem ir mais longe. O Grupo The Bestas, formados pelos quatro rapazes fabulosos do PMDB carioca - Eduardo Cunha, Eduardo Paes Luiz Fernando Pezão e Carlos Roberto Osório - já fazem um grande barulho na política do Rio de Janeiro e até do Brasil.

Com agressividade olímpica eles fazem com a Constituição Federal o que o The Who fez com seus instrumentos durante suas primeiras apresentações. Mas até as leis são jogadas na fogueira, tal qual Jimi Hendrix fez com sua guitarra uma vez.

Atraindo multidões a fazer protestos (contra) eles na Av. Pres. Vargas, no Largo da Carioca - para não dizer o faroeste que rola nos complexos do Alemão e da Maré - os quatro rapazes do Livre Mercado abandonaram o público, quando perceberam que a barulheira os impedia de conhecer suas ambições pessoais.

Aí eles se isolaram no estúdio, para promover seus grandes projetos pessoais. Criaram o álbum Sargento Olimpo e o Clube dos Atletas Solitários, com ambições olímpicas. Prestaram tributo a Sérgio Cabral Filho, o "quinto besta", "morto" pelos escândalos políticos divulgados na imprensa. Os parceiros ainda têm esperança de uma "ressurreição" que reponha Cabralzinho de novo na estrada.

Depois, criaram o disco Magical BRT Tour, em que a criatividade do Carlos Roberto Osório, que, considerado o mais brincalhão do grupo, depois participaria, como ator, do filme 200 UPPs, projeto do grupo Zé Beltrame and The Mothers of Intervention.

Osório, seguindo a escola de Alexandre Sansão, dos tempos do Silver Bestas, despejou pintura padronizada nos ônibus executivos e lançou um estilo que permitiu que linhas de ônibus fossem partidas ao meio para gerar "alimentadores" e ainda faz seus discursos tentando explicar por que trens e metrôs volta e meia se desviam dos trilhos.

Se Osório é o humorista do grupo, podemos definir Eduardo Paes como o mais irônico, Eduardo Cunha como o mais romântico (vide seu amor a Deus e à Bíblia) e Luiz Fernando Pezão, com aquele jeito de guru esotérico, o mais místico dos quatro.

O problema é que a Festa de Arromba não tem fim anunciado. Seu Let It Bosta é lançado como um começo de uma nova fase. A carreira-solo de Eduardo Cunha em Brasília, liderando a "banda de música" oposicionista da Câmara dos Deputados, é apenas um trabalho paralelo. O cenário do PMDB carioca ainda prepara novos voos de Ícaro. Abaixemos nossas cabeças, serão voos rasantes!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca