Conversa de pescadores

Dois pescadores conversam em algum lugar no Rio de Janeiro. Um deles veio do pantanal de Mato Grosso e contava uma estória mirabolante.

- Rapaz, eu pesquei um tubarão desse tamanhão no rio. - disse ele, indicando com os braços o tamanho do peixe que disse ter capturado.

- E tubarão dá em rio? - disse outro, desconfiado.

- É raro, mas nesse caso deu. E eu cai na água e fui brigar com o bicho. Eu com meus braços e ele com seus dentes. Aí eu segurei dois dentes pontudos do animal e dei uns chutes com tanta força que deixei imobilizado. E aí eu o matei e pesquei e vendi para o mercado mais perto de lá.

- Você acha que eu vou acreditar nisso? Comigo não tem essa estória, não. - disse o pescador carioca.

- Não vai me dizer que você não vem com estória também. - disse o pescador do Pantanal.

- Ih, você pensa que sou de contar lorota? Ora, eu pesco aqui na Baía da Guanabara, pego muito peixe, tá tudo limpinho. Falei com os caras das Olimpíadas e o pessoal garante que a poluição reduziu, e que as águas estão melhores do que antes para praticar os esportes marítimos. Nem fedor tem mais.

- Então tá. Tô vendo que a poluição acabou. - ironizou o pescador do pantanal. - Só tirar umas garrafinhas e uns papeizinhos que tudo se resolve, não é? Tua estória é até mais interessante que a minha, que já está velha que só...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo