Tráfico e pintura padronizada ameaçam passageiros de linhas intermunicipais

O jornal O Dia noticiou que os ônibus intermunicipais, entre urbanos e rodoviários, que servem o Grande Rio, estão entre os que mais sofrem vistorias policiais, que apreendem drogas e armas em muitas ocasiões.

Os assaltos são constantes nessas linhas, tanto as que vêm de cidades distantes como Volta Redonda até mesmo municípios como Niterói e os da Baixada Fluminense. Passageiros levando drogas para venda também costumam viajar discretamente nesses trajetos. Na última semana, a polícia deteve uma mulher de 28 anos e um homem de 32 em diferentes ocasiões, ao apreender estoques de maconha e cocaína transportados para comercialização.

Outro ponto que apavora as pessoas é a pintura padronizada. Sabe como é, Jaime Lerner foi escolhido para planejar a "licitação" das linhas intermunicipais e, como fez em Curitiba, irá impor a pintura padronizada nas empresas de ônibus, ampliando a confusão que se observa nas linhas de ônibus municipais da cidade do Rio de Janeiro, em que fulano vai para a Pavuna pensando que vai ao Lins e vai para Vila Valqueire pensando que vai ao Recreio dos Bandeirantes.

Pois Lerner é também conhecido por ser um dos políticos mais corruptos do país e, assim como os passageiros que escondem as trouxinhas de "baseado" que irá vender, pretende esconder as empresas de ônibus com uma "pintura única" por região ou tipo de ônibus, para acobertar a roubalheira que acontece nas linhas municipais cariocas

Daí o medo dos passageiros que em breve correrão o risco de pegar um ônibus para Magé pensando que vai para o Japeri. E ainda correm o risco de serem assaltados com a farsa do Bilhete Único que enguiça fácil e se esgota no final do trajeto do primeiro ônibus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca