Pular para o conteúdo principal

Rafael Picciani aprovado... para apresentador de Stand Up Comedy!!

Algumas piadas de Rafael Picciani para as mudanças nas linhas de ônibus do Rio de Janeiro:

- "Somente 20% das pessoas precisarão recorrer às baldeações"

Legal. Por exemplo, vamos pegar um ônibus da Usina, Méier e Olaria, com intenção de ir para a Zona Sul, e basta saltar na Candelária e "andar um pouco" para Copacabana ou Ipanema. É "logo ali pertinho". Basta uma caminhada e se distrair com a paisagem, não é mesmo? Tem até chance de fazer "caridade" doando dinheiro e objetos para os meliantes.

- 64% dos ônibus têm 80% de sobreposição nos seus itinerários

Ah, sim, uma única linha que liga um bairro a outro, sem concorrência, "sobrepõe" itinerários e por isso tem que ser extinta. Legal é o morador do Méier que trabalha em Copacabana fazer baldeação, ficando sentado no primeiro ônibus e ficando em pé no segundo, ou então esperar três ônibus Centro X Zona Sul passarem para ter sorte de pegar um lugar sentado, de preferência em posição semelhante ao do primeiro ônibus.

- A maioria dos ônibus circulava vazios.

E ônibus que não tem passageiros em pé são "vazios" mesmo quando todos os assentos estão ocupados. E repetindo o fato do passageiro viajar sentado no primeiro ônibus e em pé no segundo, o único conforto garantido é o do secretário de Transportes que não perderá seu assento no seu gabinete. Ele garante que nenhum passageiro da Zona Norte irá sentar na cadeira do secretário.

- As mudanças nas linhas de ônibus nada têm a ver com qualquer represália à presença de gente pobre na Zona Sul.

Ah, claro. O projeto de mudança nas linhas de ônibus da Zona Sul é só uma forma de otimizar as praias, como Copacabana e Ipanema, tirando apenas as pessoas que incomodam e deixando apenas a "gente bonita" que sempre clareou as praias cariocas. A "ralé" que se contente com o piscinão de Madureira, que será inaugurado daqui a cerca de dez dias.

- As mudanças das linhas de ônibus foram planejadas meses antes dos arrastões em Copacabana. 

É, e a violência no Rio de Janeiro nasceu ontem. Os muitos mortos da violência são fruto da imaginação da imprensa sensacionalista. O pedreiro Amarildo de Souza nunca existiu e a engenheira Patrícia Amieiro, desaparecida em São Conrado, não passa de uma bonequinha de brinquedo jogada por algum moleque das proximidades. A criminalidade é só teatro mambembe encenando faroeste e a contravenção não passa de humorismo radiofônico do tipo Balança Mas Não Cai. Pelo jeito, Rafael Picciani nunca viu pessoalmente uma cena de assalto ou assassinato na rua.

CONCLUSÃO

Os cariocas aprovam completamente Rafael Picciani. Ele, realmente, é o homem certo. O homem certo para fazer piada de stand up comedy e fazer o povo se desabar de tanto rir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Recebemos em nosso e-mail uma mensagem de um leitor que pediu para não identificado e que contássemos o seu caso real com nossas palavras, sem reproduzir o seu texto. Obrigado leitor e vamos contar de nossa forma o seu caso, colocando o fictício nome de "João".
"João" é um excelente profissional, cumpridor de seus deveres, que nunca faltou o trabalho por motivo fútil, é pontual e costuma concluir suas tarefas um pouco antes da hora estipulada, tendo fama de adiantar bastante o trabalho da empresa.
Era um dia normal de trabalho. João estava mais uma vez em sua tarefa quando um dos colegas, o mais extrovertido tenta puxar uma conversa, de início simpática, com o colega.
Colega 1: Oi, João, tudo bem? João: Tudo. Colega: Você é um cara legal, trabalhador, gente boa mesmo. mas não sabemos muito de você. Qual é o seu time de futeboll? João: Eu não curto muito futebol. Colega 1: O quê? Não curte futebol? Você está brincando! João: Sério. Eu não sou muito ligado em futebol. Res…

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Já é consenso da maioria que o dia 31 de agosto de 2016 é um dos dias mais tristes da História brasileira. Já é o pior momento de 2016. Uma democracia conduzida por uma presidente sem culpa é derrubada por um bando de corruptos a serviço de um pequeno grupo de ricaços. Uma atitude que poderá custar as vidas de muitos brasileiros.
Mas os cariocas, em sua maioria elitistas, pareciam felizes com a deposição de Dilma. Desprovidos de altruísmo e de senso de humanidade, pouco estão se lixando se o governo que se instalou através de um golpe irá ou não prejudicar a população brasileira. A elite está tranquila. Caso o prejuízo a alcance, é só entrar em um avião e se mudar para a Europa ou para os EUA. Como os cariocas são o povo mais burro do Brasil na atualidade, o futebol sempre foi e será prioridade máxima para a população local.
É isso mesmo. Esta mesma elite, junto com a classe média e alguns pobres que a apoiaram, estavam todos, na noite do mesmo fatídico dia 31 preocupados com "c…

Marcelo Crivella é o novo prefeito do Rio de Janeiro

Com cerca de 59% dos votos válidos (curiosamente o número de sua idade), Marcelo Crivella se torna o próximo prefeito da capital do Rio de Janeiro. Freixo recebeu cerca de 40% dos votos. Abstenções foram cerca de 46% superiores a Freixo.
A vitória de Crivella já era esperada dada o grau de conservadorismo do povo carioca e o fortalecimento das religiões cristãs, além do crescimento intenso das igrejas evangélicas. O fato de Crivella ser da Universal contou com a campanha da TV Record, bem popular no RJ. 
Apesar de ter recebido apoio da Globo (muito mais por rivalidade televisiva do que por ideologia), Freixo não conseguiu se eleger, admitindo a derrota imediatamente após confirmada a vitória de Crivella, no mesmo lugar onde seria a sua festa de comemoração, caso vencesse.
Apesar de seguir um manual que orienta a transformação de sua gestão em uma teocracia, Crivella deve saber que governará também para não-evangélicos e para não cristãos. Como é moderado, é provável que o plano de te…