Paes ignora senso de moral e garante que sucessor que bateu em mulher fica até o fim

Brasileiros e sobretudo cariocas não tem muito senso de moral. Se uma pessoa faz algo errado, nocivo, continua amigo, desde que não prejudique quem ficar do lado dele. Vários casos mostraram pessoas dando apoio a outras que prejudicaram terceiras, sobretudo no Rio de Janeiro. "Pode prejudicar a humanidade inteira, se não me prejudica, é meu amigo" deve ser o lema dessa "galera".

E pelo jeito Eduardo Paes pensa assim. Seu "primeiro secretário" e candidato a sucessão da prefeitura do Rio de Janeiro, conhecido apenas como Pedro Paulo, é investigado pela Polícia Civil por agressões a ex-mulher. Testemunhas confirmam os fatos. Infelizmente, o cara tem foro privilegiado, pois também é deputado, mas se afastou do cargo para trabalhar na prefeitura.

Mesmo com as denúncias e investigação, Eduardo Paes, que como seu xará Cunha e boa parte do PMDB não tem noções boas de ética e moral, garante que pretende manter Pedro Paulo até o fim, como se a moral e o respeito a dignidade alheia fossem parte de um item dispensável para uma liderança política.

Bom lembrar que este fato triste pode ser usado pelos concorrentes nas campanhas eleitorais para tentar derrubar Pedro Paulo.

Gostaria muito que Pedro Paulo saísse e fosse substituído. Claro que quase todos os políticos tem um histórico de erros, mas quem gostaria de ser governado por um sujeito que bate em mulher? Eu não gostaria!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca