Para rádio do "rock de verdade", Pearl Jam só lançou 'Ten' e uns poucos hits

Quem tem a coragem de sintonizar a Rádio Cidade, que é uma espécie de Rádio Disney com guitarras - dá dó os cariocas ficarem zoando dos Jonas Brothers, até eles são mais rock do que essa FM ridícula - , sabe que o Pearl Jam só aparece através dos sucessos do primeiro álbum, Ten, de 1991, e um punhadinho de hits dos discos posteriores.

E olha que estamos falando de um medalhão do rock contemporâneo, que em tese tem acesso amplo e fácil numa rádio comercial que se passa por "roqueira" mas só toca os "grandes sucessos".

O grupo, que inicia turnê no Brasil, é bem mais respeitável do que se possa parecer e há muito não é mais uma simples banda grunge, mas um grupo de classic rock que cruza influências de Neil Young com Led Zeppelin, de maneira peculiar. O Pearl Jam, pelo som que faz hoje, poderia até ter surgido duas décadas antes da trajetória original que não faria feio na antologia do rock clássico.

O problema é que, sintonizando uma emissora FM com nome bobo - como rádio de rock, o nome "Rádio Cidade" é tão idiota quando uma banda de rock com nome de Chapeuzinho Vermelho & Os Três Porquinhos - , o Pearl Jam nunca vai além da imagem de mísera bandinha grunge, nivelada a bobagens como Creed e Nickelback, dando a falsa impressão de que Eddie Vedder canta como se estivesse fazendo força para alguma coisa.

Não. Eddie Vedder é um grande cantor. Ele e seus parceiros são grandes músicos. Eles seguem com muita honra o legado do rock clássico com discos cada vez mais viscerais e cujos grandes clássicos não aparecerão nos 102,9 mhz, a não ser que apareça em trilha sonora de blockbusters de Hollywood.

Na Rádio Cidade, a música, para ser tocada, não pode ter apenas guitarra, baixo e bateria. Precisa ter videoclipe e, acima de tudo, estar nos listões das paradas de sucesso, de preferência em colocações acima de nomes como Justin Bieber e Beyoncé. Se não, nada feito. Se contente com seu MP3.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca