Jogo dos Sete Erros: Rádio Cidade


Muita gente anda deslumbrada com a atual fase da Rádio Cidade. É claro que, depois dos cariocas ouvirem uma overdose de "sertanejos" e funqueiros nos seus CDs e de lutarem para ver Chitãozinho & Xororó e Zezé di Camargo & Luciano rolando adoidado nos altos círculos jovens do Baixo Gávea, o pessoal agora posa de "roqueiro de verdade" apoiando uma rádio dessas que, sabemos, cometeu muitas gafes e erros. Destacamos os principais:

1) NOME DA RÁDIO - O nome Rádio Cidade é bobo para uma rádio de rock e nem tem relação com o segmento. Era o nome de uma rádio que surgiu tocando disco music no final dos anos 70, e nessa época o punk e o metal estavam fervendo nos palcos gringos. Além do mais, o nome é muito banal, existe uma centena de "Rádio Cidade" com perfis mais diversos.

2) TRAJETÓRIA - Como é que uma rádio vai comemorar 40 anos de existência renegando sua trajetória original? Na boa, ninguém é obrigado a ser roqueiro, não. Nem todo mundo que bajula o rock é realmente um roqueiro. A Rádio Cidade era muito mais simpática e criativa como rádio pop mas, desde que se encanou em ser "rádio de rock", virou um poço de pretensiosismo blasé. Será que a rádio vai repetir o mico de 1997, quando, celebrando 20 anos de existência, alegava que só tocou Sugarhill Gang? Cara, a rádio tocava até Village People e Sérgio Mallandro!!

3) EQUIPE - Como é que uma rádio que levanta a bandeira do "rock de verdade" não possui equipe especializada? Os locutores são os mesmos de quando a Rádio Cidade ainda usava o nome de fantasia de Jovem Pan. O coordenador da rádio, um tal de Van Damme, veio da breguíssima Beat 98 (hoje extinta) e sua única experiência próxima do rock foi tocar os intragáveis "sertanejos universitários". E o pessoal do Hora dos Perdidos e Rock Bola não passam de uns comediantes que imitam o Pânico da Pan. Além disso, essa equipe toda fica falando mal das bandas de rock quando não usam os microfones.

4) "SÓ SUCESSOS" - É assustador o desprezo que os roqueiros médios têm da ideia de que a Rádio Cidade só toca hit-parade. Pensam que o "irrit-pareide" se limita aos Naldos, Biebers, Luans e Anittas da vida, quando a gente vê que a Rádio Cidade só toca uns sucessinhos dos artistas do rock. Isso é consequência da incompetência de sua equipe, que apenas faz o cardápio musical com material já indicado pela indústria fonográfica, que só trabalha com... músicas de trabalho. Então, se você quiser ouvir algo mais, se vire com o MP3!

5) FUTEBOL - Desde quando futebol é esporte rock'n'roll? Nem em sonhos! Nem no Reino Unido isso é assim, porque os britânicos podem até adorar tanto rock quanto futebol, a banda Wedding Present pode fazer homenagem ao lendário craque George Best e tudo, mas eles não misturam as duas coisas. Rock e futebol podem se dialogar, mas não se confundem, são universos bem diferentes. E, no Brasil, onde 99% dos jogadores de futebol (sobretudo Neymar) torce o nariz para o rock, não há razão alguma para uma rádio que se diz de rock ter um programa futebolístico. O roqueiro autêntico que quer se informar sobre futebol já tem o Sportv e o ESPN.

6) GRADE DE PROGRAMAÇÃO - A grade de programação não tem a ver com os critérios de uma rádio autenticamente rock. Uma diferença é uma rádio de rock autêntica (como a digital Cult FM) criar programas de blues, de rock alternativo, de clássicos (clássicos mesmo, nada de flash back enrustido, sem essa de "sucessos de ontem"), de música de skatista, de rock progressivo, módulos especiais e por aí vai. Outra coisa é uma rádio comercial dita "de rock" fazer programa de "sucessos mais pedidos", "duas horas sem comerciais", flash back travestido de "clássicos do rock", programa de DJ da boate da hora e programas de besteirol temático. Na boa, a Rádio Cidade monta sua grade de programação se pautando na Mix FM e na Jovem Pan, não tem como ignorar isso!

7) LINGUAGEM E MENTALIDADE - A linguagem da Rádio Cidade continua sendo de escancarada rádio pop. Nada que lembre uma rádio de rock autêntica. A locução apenas amenizou um pouco, ficou "mais calminha, com fala pausada" mas segue aquele estilo "locutor da Mix FM em fase zen", os locutores continuam falando gírias bobas e fazendo gracinhas, mantém as vozes afetadas de locutorzão poperó, e tratam o público de rock como se fosse um bando de débeis-mentais. A mentalidade da Rádio Cidade continua mais pop do que nunca, e o estranho é que as locuções ainda são feitas diante de um fundo musical de tecno, algo que lembra bem a Jovem Pan, Mix etc.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Prisão de Cunha é etapa de um jogo político