Pular para o conteúdo principal

Chloe Moretz, Chance The Rapper e o vício de fumar

O Rio de Janeiro é uma das cidades brasileiras com o maior número de fumantes. Embora claramente nocivo e com número muito grande de ingredientes tóxicos, o cigarro ainda é associado a estereótipos de elevação social que faz com que muita gente continue fumando. 

E nem adianta morrerem pessoas por causa do vício (entre o final de 2015 e o início de 2016 morreram muitos consumidores tradicionais de cigarro - mesmo não sendo de doenças ligadas ao vicio, estavam fisicamente enfraquecidos pelo habito de fumar), pois o estigma positivo associado ao habito de fumar reforça a ilusão do "comigo isso não vai acontecer". Muita gente com pulmão apodrecido e nem sabe.

E as celebridades que fumam acabam sendo uma propaganda e tanto para o hábito, para a a alegria das indústrias de cigarro. Curioso como existam indústrias especializadas em vender a morte, mesmo em doses homeopáticas. Indústrias protegidas pela lei e pelo senso comum da opinião pública.

E infelizmente ainda são muitos os jovens que colocam esse terrível coquetel de tóxicos em seu organismo. Mesmo que diminua o consumo entre os jovens, ele ainda é consideravelmente alto. Para as pessoas em um mundo medíocre e de valores em decadência, ser correto passou a ser errado e legal mesmo é consumir alguma bobagem para reduzir o tempo de vida;

Voltando às celebridades, um episódio acontecido no exterior serviu de uma baita propaganda do hábito de fumar, embora o fato de alguém estar fumando na ocasião tivesse sido pouco ou nada comentado.

Chloe Grace Moretz, atriz americana que protagoniza o filme em primeiro lugar nos cinemas brasileiros (e principalmente cariocas), arrumou um suposto namorado (ou ficante, pelo que ficou subentendido) conhecido como Chance The Rapper. A biografia dele não nos interessa dizer aqui, mas na foto onde ambos aparecem juntos em um carro, lado a lado com Moretz no volante, Chance estava com um baita cigarro e com a atriz do lado, como se fumar fosse a coisa mais normal do mundo. pelo menos Moretz deveria ter proibido o sujeito de fumar dentro de seu carro.

A foto em si soa muito boa como propaganda de cigarro, se lembrarmos que Chloe Moretz já foi eleita a mulher mais linda do mundo em uma pesquisa e que ela é muito desejada e comentada. Fãs estão ansiosos em vê la de biquíni minúsculo no vindouro filme Vizinhos 2, no papel de uma líder de fraternidade feminina. Mesmo que tenha sido apenas uma carona, a foto já serviu para dizer que Chance e Moretz têm no mínimo algum tipo de amizade.

E Chance que é feio e parece ser meio bronco (rappers atuais, inspirados no estilo Gangsta Rap, costumam ser bem broncos e vulgares), apareceu fumando ao lado dessa loira desejada. Olhem para a foto e vejam se não dá para ler uma legenda invisível?: "sou feio e bronco, mas meu cigarro atraiu essa loira maravilhosa". Milhares de jovens vão olhar a foto e enxergar na cena uma prova de que o cigarro atrai prosperidade social e afetiva.

Infelizmente, há um lado, digamos, "positivo" do consumo de drogas: elas ajudam a aumentar a popularidade. Não sei bem o que passa na cabeça de quem consome drogas por motivos sociais, mas o consumo de substâncias nocivas como cigarro, álcool e outras drogas, lícitas ou não, dá uma ilusão de coragem e serve de "atestado" de vida adulta, já que crianças não podem consumir drogas, seja quais forem. Ser drogado passa a ideia de que "cheguei lá, sou adulto finalmente e sou livre". Uma liberdade que pode trazer amigos, mas transformá-los em público para um certeiro velório. Muitos viúvos para um só erro cometido: o de se autodestruir através das drogas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Recebemos em nosso e-mail uma mensagem de um leitor que pediu para não identificado e que contássemos o seu caso real com nossas palavras, sem reproduzir o seu texto. Obrigado leitor e vamos contar de nossa forma o seu caso, colocando o fictício nome de "João".
"João" é um excelente profissional, cumpridor de seus deveres, que nunca faltou o trabalho por motivo fútil, é pontual e costuma concluir suas tarefas um pouco antes da hora estipulada, tendo fama de adiantar bastante o trabalho da empresa.
Era um dia normal de trabalho. João estava mais uma vez em sua tarefa quando um dos colegas, o mais extrovertido tenta puxar uma conversa, de início simpática, com o colega.
Colega 1: Oi, João, tudo bem? João: Tudo. Colega: Você é um cara legal, trabalhador, gente boa mesmo. mas não sabemos muito de você. Qual é o seu time de futeboll? João: Eu não curto muito futebol. Colega 1: O quê? Não curte futebol? Você está brincando! João: Sério. Eu não sou muito ligado em futebol. Res…

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Já é consenso da maioria que o dia 31 de agosto de 2016 é um dos dias mais tristes da História brasileira. Já é o pior momento de 2016. Uma democracia conduzida por uma presidente sem culpa é derrubada por um bando de corruptos a serviço de um pequeno grupo de ricaços. Uma atitude que poderá custar as vidas de muitos brasileiros.
Mas os cariocas, em sua maioria elitistas, pareciam felizes com a deposição de Dilma. Desprovidos de altruísmo e de senso de humanidade, pouco estão se lixando se o governo que se instalou através de um golpe irá ou não prejudicar a população brasileira. A elite está tranquila. Caso o prejuízo a alcance, é só entrar em um avião e se mudar para a Europa ou para os EUA. Como os cariocas são o povo mais burro do Brasil na atualidade, o futebol sempre foi e será prioridade máxima para a população local.
É isso mesmo. Esta mesma elite, junto com a classe média e alguns pobres que a apoiaram, estavam todos, na noite do mesmo fatídico dia 31 preocupados com "c…

Marcelo Crivella é o novo prefeito do Rio de Janeiro

Com cerca de 59% dos votos válidos (curiosamente o número de sua idade), Marcelo Crivella se torna o próximo prefeito da capital do Rio de Janeiro. Freixo recebeu cerca de 40% dos votos. Abstenções foram cerca de 46% superiores a Freixo.
A vitória de Crivella já era esperada dada o grau de conservadorismo do povo carioca e o fortalecimento das religiões cristãs, além do crescimento intenso das igrejas evangélicas. O fato de Crivella ser da Universal contou com a campanha da TV Record, bem popular no RJ. 
Apesar de ter recebido apoio da Globo (muito mais por rivalidade televisiva do que por ideologia), Freixo não conseguiu se eleger, admitindo a derrota imediatamente após confirmada a vitória de Crivella, no mesmo lugar onde seria a sua festa de comemoração, caso vencesse.
Apesar de seguir um manual que orienta a transformação de sua gestão em uma teocracia, Crivella deve saber que governará também para não-evangélicos e para não cristãos. Como é moderado, é provável que o plano de te…