Eduardo Paes morde e assopra

Em uma conversa com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, "grampeada" pela Polícia Federal, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ele, comentando sobre a "alma de pobre" do ex-presidente, fez comentários grosseiros sobre Maricá, que ele usou para comparar com a cidade paulista de Atibaia, onde fica um sítio que teria sido frequentado por Lula e sua família:

"O senhor é uma alma de pobre. Eu, todo mundo que fala aqui no meio, eu falo o seguinte: imagina se fosse aqui no Rio esse sítio dele, não é em Petrópolis, não é em Itaipava. É como se fosse em Maricá. É uma m**** de lugar, p****. Esse barquinho dele é em São Pedro da Aldeia ou Araruama, não é em Búzios nem em Angra. (...) Agora da próxima vez você para com essa vida de pobre, com essa alma de pobre comprando esses barcos de m****", disse o prefeito no áudio vazado pela Polícia Federal", disse o prefeito carioca.

A população de Maricá ficou indignada, mas os moradores do Grande Rio também não receberam bem a declaração. Eduardo Paes, vendo a repercussão negativa do áudio, disse que a declaração foi uma "brincadeira" que poderia ser "de mau gosto" conforme o contexto e disse ter sofrido "arrependimento e vergonha" pelo que disse.

Está certo. Só que Eduardo Paes primeiro declarou, deixando repercutir o comentário ofensivo e, no estilo "morde e assopra", tentou voltar atrás. É o tipo do que primeiro atira para depois pedir desculpas. Não caiu bem para sua imagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca