Eduardo Paes morde e assopra

Em uma conversa com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, "grampeada" pela Polícia Federal, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ele, comentando sobre a "alma de pobre" do ex-presidente, fez comentários grosseiros sobre Maricá, que ele usou para comparar com a cidade paulista de Atibaia, onde fica um sítio que teria sido frequentado por Lula e sua família:

"O senhor é uma alma de pobre. Eu, todo mundo que fala aqui no meio, eu falo o seguinte: imagina se fosse aqui no Rio esse sítio dele, não é em Petrópolis, não é em Itaipava. É como se fosse em Maricá. É uma m**** de lugar, p****. Esse barquinho dele é em São Pedro da Aldeia ou Araruama, não é em Búzios nem em Angra. (...) Agora da próxima vez você para com essa vida de pobre, com essa alma de pobre comprando esses barcos de m****", disse o prefeito no áudio vazado pela Polícia Federal", disse o prefeito carioca.

A população de Maricá ficou indignada, mas os moradores do Grande Rio também não receberam bem a declaração. Eduardo Paes, vendo a repercussão negativa do áudio, disse que a declaração foi uma "brincadeira" que poderia ser "de mau gosto" conforme o contexto e disse ter sofrido "arrependimento e vergonha" pelo que disse.

Está certo. Só que Eduardo Paes primeiro declarou, deixando repercutir o comentário ofensivo e, no estilo "morde e assopra", tentou voltar atrás. É o tipo do que primeiro atira para depois pedir desculpas. Não caiu bem para sua imagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Prisão de Cunha é etapa de um jogo político