Pelo jeito a crise não está atingindo os cariocas

É, tem gente que tenta acreditar que não há crise no nosso país, ou então que não é atingida por esse quadro de restrições severas de gastos.

O que tem gente tatuando pescoço, braço, e, agora, as batatas das pernas, que é o modismo da temporada, é assustador.

Pessoas que deixam de comprar uma cesta básica - se contentam com cerveja, fast food e outras "besteiras" - e, não bastasse a compra de livros de Minecraft e discos de "sertanejo universitário" e "funk", andam pintando os corpos como se eles fossem murais ambulantes.

É esse pessoal depois que vai fazer passeatas, sob as ordens da Rede Globo e da revista Veja, contra a crise e a corrupção, depois de preencherem suas vidas com tantos supérfluos citados no parágrafo acima. Isso é que é vida de gado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca

Prisão de Cunha é etapa de um jogo político