Marky Ramone tocou mais do que a Rádio Cidade tocaria de Ramones e derivados

Conta-se no noticiário que a banda do ex-baterista dos Ramones, Marky Ramone's Blitzkrieg, tocou apenas 47 minutos no Imperator, casa de espetáculos do Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro, saindo antes de fazer o primeiro bis.

A plateia saiu enfurecida, em parte com razão, porque esperava uma apresentação de, pelo menos, uma hora e meia, e não uns 47 minutos. Sabe-se que o punk tem canções curtíssimas e meia-hora daria para tocar umas quinze músicas, mas a plateia deveria ter sido avisada antes, pelo menos, sobre a apresentação que não chegou a durar cinquenta minutos.

Se bem que até que Marky Ramone's Blitzkrieg tocou muitas músicas, se comparado com o espaço que a Rádio Cidade dá aos Ramones e seus derivados (as bandas que hoje representam o legado de Joey Ramone), que é muito ínfimo. Para a Cidade, Ramones só existe nas músicas "Pet's Sematary", "I Wanna Be Sedated" e "Straight to Endure", além da cover do tema do Homem-Aranha e a versão solo de Joey para "What a Wonderful World", sucesso na voz de Louis Armstrong.

Fora isso, nem suplicando. Nem mesmo "I Don't Care" é permitido tocar, mesmo sendo a música cujos acordes influenciaram "Que País é Este?" do Aborto Elétrico (registrado em disco pela Legião Urbana).

Rádio comercial dita de rock é isso mesmo. Só toca os "sucessos". O pessoal deveria ficar mais p*** com a Rádio Cidade do que com a banda do batalhador Marky Ramone.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espírito de Equipe

Insensibilidade do carioca tem a ver com o consumismo

Comemoração por futebol em dia de Golpe mostra infantilidade do povo carioca